A Ferro e Fogo eleva o churrasco e seus complementos à categoria de culinária arte em Alegrete


Sete ilhas espalhadas lado a lado, formando uma meia lua, e um mestre regente. Fumaça, brasa, chama, fogo, faíscas e cheiro inconfundível. Lenha, muita lenha, além de cortes especiais de Carne Certificada Hereford e produtos produzidos pela ALEGRO, como linguiça campeira e charque da Tambara.

Quem circulou ontem à noite pelas dependências do Parque de Exposições Dr. Lauro Dornelles, em Alegrete, ficou inebriado pela beleza do cenário e pelo sabor conferido aos pratos especialmente preparados pela equipe de cozinheiros liderados pelo chef Marcos Livi no projeto A Ferro e Fogo.

Foram 8 grandes estrelas oriundas de Porto Alegre, Pelotas, Canela, Florianópolis e São Paulo apresentando com materiais simples como grelhas, gaiolas, panela de ferro, lenha, carvão e muita disposição um resgate da rústica cozinha do sul.

“Indescritível o que aconteceu ontem. Aquilo realmente foi um show da nossa culinária com uma apresentação completamente diferente. O clima que se criou em volta daquelas estações foi algo espetacular. O sabor de tudo foi algo nunca visto. Um show à parte”, admitiu o sócio e criador Carlos Beleza.

Beth Schreiner e Brunno Ardissone sendo observados por Marcos Livi

Ele não foi o único a declarar todo o seu encantamento pela noite especialmente preparada para o lançamento oficial da Exposição Nacional de Hereford e Braford. Bruno Teixeira, médico veterinário e integrante da equipe do PampaPlus, não encontrava palavras para descrever.

“Evento fantástico, uma novidade. Único adjetivo que eu achei foi ‘Bah’!!! Estava muito bacana, muito legal mesmo”, disse ele, que ziguezagueava pelas estações provando e aprovando tudo.

“Comi um costelão Hereford assado no capricho, de fundamento, um leitão assado com tempero suave, gostoso e com courinho à pururuca. Sem falar no cordeiro que estava se desmanchando e no galeto. Tinha assado para agradar a todos os gostos”, pontuou.

Destaque especial para o feijão feito em fogo de chão que ele comeu com aipim cozido. “Tinha de tudo, verduras, legumes, tudo no fogo de chão com aquelas coisas penduradas. Quem chegava de fora comia com os olhos”.

As descrições acima exemplificam o que é a gastronomia de Livi, que une paixão pela culinária e seus produtos locais, com a admiração pela ferraria. Na companhia dos chefs Márcio Ávila, Daniel Castelli, Eder Monteiro, Elisabeth Schreiner, Zé Maria, Brunno Ardissone e Luciano Medeiros, pratos memoráveis iam sendo servidos, feitos com fogo de carvão e de lenha. Este é outro detalhe importante a ser ressaltado. O projeto não abre espaço para o gás, não usa eletricidade, não tem forno, muito menos micro-ondas. É tudo feito na brasa.

Além disso, é democrático, pois até mesmo quem não come carne saiu satisfeito. “Comi uma batata-doce que estava maravilhosa e um aipim que se desmanchava. Um espetáculo gastronômico totalmente diferente do que eu já tinha visto”, disse Carmem Diva Saraçol, da ABHB.

Referência nacional
Livi figura hoje entre os maiores assadores de carne do Brasil. Fernando Lopa, CEO da ABHB, um dos maiores entendedores no assunto, assistia de longe e comemorava a empolgação dos presentes. “Ele usa sabiamente a brasa e a chama da churrasqueira e entrega pratos únicos e surpreendentes”.

Dentre os segredos, o tempo. No a Ferro e Fogo não há espaço para a pressa, muito menos para a ausência do calor humano. No projeto, as pessoas são convidadas a circular entre as estações e saciar a fome com iguarias que entregam muita cor, aroma e sabor, sem nunca deixar de dividir e compartilhar as experiências gastronômicas com os cozinheiros.

Esse gaúcho radicado em São Paulo e proprietário de Casas de sucesso como os bares Veríssimo e Quintana, além do Parador Hampel, uma pousada localizada em São Francisco de Paula, elevou o churrasco e seus complementos ontem à noite à categoria de alta arte culinária. Cabe à Associação Brasileira de Hereford e Braford agradecer tamanho empenho e parceria.

Prestigiaram a noite os chefs Ricardo Penna, de Belo Horizonte, e Fabiana Pinheiro, do Distrito Federal. Ele é um estudioso das carnes e da gastronomia, já atendeu mais de 770 empresas no Brasil, América Central e Europa e escreveu dois livros sobre carne: Alquimia do Churrasco e Transformando carnes de segunda em carnes nobres. Ela dirige o Restaurante Trow Parrilla & Beer em Brasília e atua como Consultora Arquitetônica e Gastronômica de Restaurante, Bares e Hoteis.

Os dois estão no Estado a convite do parceiro Volmir Carboni, da Carnes do Sul, que tem “o objetivo de estreitar o relacionamento com estes influenciadores e formadores de opinião, mostrando o que é o Pampa de Verdade, o nosso bioma a nossa cultura e a qualidade de nosso gado”, informou Carboni. Também esteve conosco, do início ao fim, provando todos os preparos o Dr. Pedro de Felício, palestrante da Nacional HB em 2017. Os parceiros do Sicredi, Brasão do Pampa e Connan também circularam pelo Parque na última segunda-feira, assim como os membros da ALEGRO.

Na oportunidade, ainda foi lançado o Anuário 2016 da Associação Brasileira de Hereford e Braford, um verdadeiro compêndio sobre as ações realizadas no ano passado pelos diferentes setores da Entidade. Do Registro Genealógico ao Programa Carne Pampa. Mais de 200 páginas de história. Uma noite que ficará gravada na história da ABHB.

Por Tatiana Feldens, reg. Prof. 13.654
Fotos: Katega Vaz
Ascom ABHB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Translate »