Membros da Embaixada dos EUA em Brasília conhecem todo o sabor da Carne Certificada Hereford

img_1491

Com o objetivo de celebrar o acordo recentemente firmado entre Estados Unidos e Brasil abrindo o mercado para a carne bovina de corte, foi realizado na última terça-feira à noite, em Brasília, um jantar com degustação de cortes selecionados das principais raças de bovinos de corte criados no Brasil, entre eles a Carne Certificada Hereford.

A Associação Brasileira de Hereford e Braford, através do Programa Carne Pampa, se fez presente no evento com cortes de Picanha e Entrecot 100% Certificado Hereford. Também enviou representação institucional, entre eles o membro da diretoria, sócio e criador de Hereford, Gedeão Pereira, que também esteve por lá representado a Farsul, e a jornalista da ABHB, Tatiana Feldens.

Organizada pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e realizada em sua sede social na Capital Federal, a atividade reuniu dezenas de lideranças do cenário agropecuário no Brasil. Ciceroneados pelo presidente da CNA, João Martins, a comitiva norte-americana, encabeçada pela Embaixadora dos EUA no Brasil,  Liliana Ayalde, desfrutou do que hoje existe de melhor no País em termos de proteína animal.

O jantar de boas-vindas foi preparado pelos especialistas Marcelo Bolinha (Vitrine da Carne) e Renato Sousa (Carvão e Brasa) e precedeu o evento 2º Diálogo Agrícola Brasil-Estados Unidos, que buscou promover a parceria entre Brasil e Estados Unidos com o objetivo de gerar oportunidade para que o setor agropecuário conheça e acesse novas tecnologias.

“Apesar de concorrerem em alguns segmentos do setor agrícola no mercado internacional, Brasil e Estados Unidos poderão desenvolver, em conjunto, cooperação tecnológica nesse segmento”, opinou a Embaixadora.

Ainda segundo ela, “o fortalecimento dessa parceria é condição básica para garantir a oferta de alimentos à população, que, até 2025, deverá ser acrescida de pelo menos mais um bilhão de pessoas em todo o planeta”. O intercâmbio entre os dois países, complementou a embaixadora Ayalde, “deverá ser forte, a fim de permitir que os produtores agrícolas tenham as ferramentas adequadas para produzir sempre mais e com sustentabilidade”.

Por Tatiana Feldens, reg. Prof. 13.654

Com informações da Assessoria de Comunicação CNA

Ascom ABHB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Translate »